Como lidar?

 

(Originalmente publicado em 10 de dezembro de 2011)

Vez e outra aparecem coisas engraçadas no tumblr do fuckyeahdementia e hoje essa foi a coisa engraçada do dia. Basicamente este é um “Aviso de Masturbação” (AHAHAHA) provavelmente colocado nas portas dos banheiros das bibliotecas e dos dorms na St. Andrews University. Já começa mal pelo título que é constrangedor, mas não no sentido de deixar ninguém envergonhado… É que a escrita é tão, mas tão formal, que chega a ser engraçada e só mesmo. A mensagem diz:

“Masturbação no banheiro da biblioteca é uma violação do regulamento da biblioteca da Universidade de St. Andrews.

O assoalho do banheiro recentemente remodelado não foi projetado para lidar com o seu sêmen!

A quantidade excessiva de manchas de sêmen no banheiro custa milhares de libras para ser removido profissionalmente e deve refletir no aumento das mensalidades ano que vem. É o seu dinheiro.

Por favor vá pra casa e se masturbe se você está entediado”

A pergunta que não quer calar: como lidar com seu sêmen? #LOL

Sério que eles tem uma parte no regulamento que efetivamente diz que é proibido se masturbar no banheiro da biblioteca? Que incrível, são 600 anos de masturbação na biblioteca… O assoalho do banheiro já não aguenta mais. É tanto tempo que até já entrou como proibição no regulamento! E por algum acaso existe algum chão de banheiro que seja especialmente projetado para lidar com sêmen? Como assim? É quase impossível não rir desse aviso. A começar pelo título já imagino que a bibliotecária seja uma senhora inglesa bem austera de 381 anos de idade, cheia de não-me-toques. Não consigo me convencer muito bem de que esse aviso vai surtir algum efeito lá muito prático, mesmo que esteja claramente ameaçando os alunos ao dizer que o custo da limpeza acarretaria num possível aumento de mensalidade. Achei esse argumento ruim.

A biblioteca – qualquer biblioteca – é um ambiente naturalmente fetichizado, por mais que insistam que não. Quando se pensa em biblioteca, se pensa muito mais em bibliotecária do que em bibliotecário, já começa pela questão de gênero no imaginário das pessoas. Muita gente tem a fantasia de fazer sexo na biblioteca. Bibliófilos e pesquisadores, no geral, tem personalidade maníaca e obcessiva. Fico imaginando essas pessoas que simplesmente não conseguem conter a excitação tremenda que é estar na biblioteca, aquele silêncio, aquele cheirinho delícia de mofo, aquelas bibliotecárias te dando toda a atenção que você precisa…

Nossa, que tesão.  Só que não.

É só um lugar como qualquer outro. Mas será que esse é um lugar convenientemente escolhido para a prática onanista ou será que isso acontece meio que sempre ao acaso?

Fica a dúvida.

É claro que ninguém vai chegar ao cúmulo de instalar câmeras no banheiro mesmo porque acho que isso não é permitido em nenhum lugar do mundo, as pessoas tem direito à privacidade no banheiro, acho. E em um banheiro não é exatamente o mesmo que em público, mas enfim… Levando em conta que o banheiro é usado por outras pessoas, esse tipo de comportamento pode ser considerado um tanto quanto inadequado. Digo isso não por moralismo nenhum, mas porque simplesmente acho ruim ter que usar um banheiro sujo e com cheiro ruim.

Observando este caso me surgiram algumas perguntas. Algumas talvez até ingênuas, com alguns rascunhos de respostas, mas vá lá:

  • Por que os caras ejaculam, tipo, no chão? Por que, cara, por que? Você é IDIOTA? Não percebem que mais gente vai usar o banheiro? Que alguém vai ter que limpar depois? Bottom line: que isso é simplesmente no-jen-to? Não tem um lencinho não? O que que custa, cara?
  • Por que o chão do banheiro dessa biblioteca seria tão difícil (e tão caro) de limpar assim? Isso de “esperma ser removido profissionalmente” é CAÔ. Não seria mais honesto dizer que ejacular no chão é simplesmente falta de consideração com quem limpa o banheiro?
  • O que será que a biblioteca no geral (ou a ida ao banheiro em específico) tem de tão incontrolavelmente excitante? E que tipo de pessoa vai ir pra casa se masturbar porque está entediado/a? Acho ninguém precisa estar com tédio pra isso: basta querer e pronto. As pessoas são bem sem critério pra isso, no geral.

Aparentemente a solução foi de dizer que isso custaria dinheiro porque infelizmente a grande maioria das pessoas só obedece à ordens quando isso mexe no bolso. Jamais por consideração a ninguém, o que diz muito sobre a nossa sociedade hoje em dia – cada vez mais individualista e sempre menosprezando o próximo. Fico me perguntando se a estratégia dessa biblioteca – a de ameaçar com aumento da mensalidade – funcionou. Talvez tenha ocorrido justamente o oposto: encorajou ainda mais gente a ir lá fazer isso, só pra ver se vai ser pego ou não, enfim… Fetiches não são racionais, muito menos lógicos.

Já ouvi em sala de aula de colegas que trabalham em bibliotecas casos similares, mas que a pessoa em questão não ia até o banheiro não: ficava se masturbando no meio da biblioteca mesmo. Aí acho que já é mais fácil de enquadrar bem em um atentado ao pudor e isso simplesmente dá cadeia, pois é feito em público. Nesse caso, o que pode ser feito é chamar seguranças pra levar e pessoa em flagrante. No caso dos banheiros, fica um pouquinho mais complicado…

E vocês o que acham? Qual seria uma boa abordagem a ser utilizada com pervertidos na biblioteca?

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s