Oficina de Introdução à História da Arte – 10/02/11 [4 de 4]

por Alphonse Mucha

Anúncio da Moët & Chandon por A. Mucha

Faz tanto tempo que assisti essa aula, que acho que não lembro direito do que foi dito. Acho que não registrei muito bem por que achei uma das aulas menos interessantes, talvez por que a especialidade da professora não seja exatamente arte contemporânea. Na última aula de História da Arte que tive, entramos no século XX, onde existia a busca por novos padrões, novas inquietações e também movimentos artísticos mais locais.  A professora nos recomendou Ernst Gombrich, que é um dos principais autores da história da arte. Entre os artistas da virada do século estão Picasso, DuchampPollock.

Foram relembrados alguns movimentos artísticos que existiram quando da Belle Époque, do final do séc. XIX, que é na verdade uma das épocas que mais gosto, onde a Art Nouveau se populariza e também a Art Decó. Na verdade sempre tive esse questionamento da diferença entre esses dois movimentos, queria entender a diferença entre Art Nouveau e Decó. Pelo que diz na Wikipédia, “a simetria linear da Art Decó era um afastamento distinto dos pastéis e curvas orgânicas assimétricas fluídas de seu estilo predecessor, a Art Nouveau”. Eu entendia que existia uma relação, só não sabia de que modo: uma negando a outra. A Art Nouveau foi muito influente na arquitetura, principalmente na criação de grades e mobiliário e também nas propagandas na Europa. Entre os artistas relembrados pelo estilo estão

A Arte Moderna parece acontecer em um período de transição entre os séculos XIX e XX. Entre os artistas desse período foram citados Paul Cèzanne (Le joueurs de cartes; Mulher com cafeteira; Mont-Saint Victorie), Van Gogh que foi visto com um olhar mais demorado, uma vez que sua biografia é quase tão importante quanto suas obras (solitário, sofria de epilepsia, depressão e surtos psicóticos, o que o causou a cortar a própria orelha). Na Wikipédia está escrito que

Sua vida foi marcada por fracassos. Ele falhou em todos os aspectos importantes para o seu mundo, em sua época. Foi incapaz de constituir família, custear a própria subsistência ou até mesmo manter contactos sociais. Aos 37 anos, sucumbiu a uma doença mental, cometendo suicídio.

Branches with Almond Blossom, por V. Van Gogh

Me parece complicado. Van Gogh entendeu que a natureza não precisava mais ser imitada pois nesse período a fotografia popularizou-se. Suas obras ficam entre o expressionismo e o Impressionismo. Entre as suas obras mostradas nesta aula estão: Comedores de batatas; O quarto de van gogh; Noite estrelada; A vinha vermelha (que gostei muito) e Terraço do Café em Arles à Noite. Entre os artistas modernos também foi citado Henri Matisse e suas obras La Deserte (1908), Banhistas na Margem do Rio e A Dança. A maioria dos artistas do início do século XX, embora detenham linguagens diferentes de expressão, segundo a professora Luciane “não inventam a roda, mas cada vez mais têm inquietações compartilhadas”.

A Arte experimental aparece junto com o Expressionismo no início do século XX. A forma de se expressar se transforma durante o período entre guerras. O contexto histórico influencia cada vez mais diretamente nos processos criativos dos artistas da época. Alguns artistas foram analisados, mas não sei se se inserem nesse contexto especificamente. Entre eles estão: Edvard Munch, que tem O grito (1893) como sua obra mais conhecida; Oscar Kokoschka viveu 90 anos, passou pelas 2 guerras, entre suas obras selecionadas para mostra na aula estão Bride of the wind e Knight Errant; Kathe Kollwitz, em suas obras – gravuras, esculturas e xilogravuras – exibia a condição humana na metade do século XX.

Retrato de Dora Maar, por Pablo Picasso

Sempre gostei muito das obras de Mondrian mas até esta aula, eu não sabia identificá-las direito e nem contextualizar esse movimento chamado Neoplasticismo (que buscava pela simplificação da forma) direito no tempo. Entre as obras de mondrian que nos foram exibidas estão: “Composition in Blue-B“, “Composition with Gray and Light Brown“, “Composition A” (1920), Composition II in Red, Blue, and Yellow (1930). Também gostei da Gray Tree, que encontrei na Wikipédia. Entre os artistas mais conhecidos, vimos rapidamente obras de Pablo Picasso, que é considerado um ícone da arte do século XX e também do movimento chamado Cubismo. Picasso teve diferentes fases na sua carreira, chamadas como “fase azul”, “fase rosa” entre as obras expostas em aula estão Violin and Guitar; Les Demoiselles d’Avignon, deboche, (ambiguidade); Guernica (1937); “Os 3 músicos”; “Menina lendo livro na praia”; e tem também as pinturas de Dora Maar que também gosto, Dora Maar au Chat, Dora Maar seated, Dora Maar’s portrait;

No século XX, ampliam-se os movimentos artísticos surgindo também o Dadaísmo, o Surrealismo, o Expressionismo Abstrato e a Arte Conceitual.

A Fonte, de M. Duchamp

Gostei de conhecer mais sobre Marcel Duchamp, que era considerado um artista do dadaísmo e surrealismo. Era enxadrista e possuía várias inquietações enquanto artista. O pensamento e o questionamento tinham importância fundamental em seus trabalhos, que levavam a questionar “o que é obra de arte?” surgindo a partir desta pergunta, o ready made – que trabalha também com o campo conceitual – com a sua obra A Fonte (1917). Nos foi contado que a exposição temática estaria aberta para qualquer tipo de obras, sem restrições, mas quando os organizadores receberam A Fonte, ficaram chocados, sem saber o que fazer só para, depois de muita discussão, decidir incluí-la. Para Duchamp, a reflexão é o objetivo da obra e a confrontação com algo novo e inesperado levava a isso. Foi ele também quem fez o bigode na Monalisa entre outras obras como “Nu descendo a escada” (1912) e “O grande vidro“.

A Pop Art só se torna possível por conta de Duchamp e nos traz artistas como Andy Warhol, Roy Lichtenstein e Jasper JohnsJackson Pollock: expressionismo abstrato, action painting, pinturas que lembram fractais, como a Eyes in the heat. Nos anos 60 surge a Land ou Earth Art, com lugares como Spiral Jetty e Broken Cicle. Outros artistas mais contemporâneos na área de escultura também foram vistos: Giacometti: The Couple (1927), Spoon Woman, The palacce at 4 a.m. (1932). Alexander Calder: criador de móbiles e obras que se adaptassem ao entorno, espacialidade. Finalizando, são vistas as obras de artistas ainda mais contemporaneos como Damien Hirst, que por alguns é considerado marketeiro por ter causado polêmica com a sua caveira de diamantes; E Gottfried Helnwein e Hubert Duprat com suas instalações e seus casulos de ouro. Estes são os artistas que foram citatos no curso, mas basta procurar pra encontrar vários outros Internet afora, de vários lugares do mundo.

Um Comentário

  1. Pingback: Posts – Oficina de Introdução à História da Arte | Index-a-Dora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: